Início Política Agora candidato, Datena diz que faltam homens de bem na política

Agora candidato, Datena diz que faltam homens de bem na política

50
Apresentador tomou a decisão de concorrer ao Senado nas eleições de outubro

F oi por querer ver mais homens de bem na política e por desejar ajudar o Brasil que o apresentador José Luiz Datena, 61, diz ter tomado a decisão de se candidatar ao Senado nas eleições de outubro.

“É a vontade de ajudar o meu país. A cada homem de bem que se distancia da política, mais gente ruim se aproxima dela ou fica nela”, afirmou o jornalista à reportagem na manhã desta quarta-feira (27), após a confirmação de que tentará a vaga por São Paulo.

Filiado ao DEM desde abril, o comunicador será anunciado oficialmente como candidato da sigla em um evento na capital nesta quinta-feira (28).

“Todos nós temos uma missão na vida. É um projeto, acima de tudo, para tentar ajudar o meu país. Medo eu não tenho medo, só quero ajudar o meu país”, afirmou Datena.

Ele, conhecido pelos programas policiais na TV, fala que só tem medo “de sair de casa, de continuar neste país inseguro”.

Contratado do Grupo Bandeirantes, onde nos últimos sete anos comandou o Brasil Urgente (Band), o comunicador disse que não se despedirá no ar. Na rádio Bandeirantes, onde também é apresentador, fará a última participação na sexta-feira (29), um dia antes do prazo exigido por lei para que pré-candidatos se afastem de meios de comunicação por causa da campanha.

“Não vou nem me despedir. Eu vou fazer a rádio sexta-feira e vou seguir a minha vida”, afirmou.

Decidiu também que “não vai nem falar de política” na emissora até o fim da semana. “Não é nem por causa da restrição eleitoral, mas é porque eu acho que não é ético. A partir do momento em que sou candidato, eu não vou falar de política.”

Com a candidatura, o dominical “Agora É com Datena”, que ele estreou na TV em abril deste ano, já não será exibido no próximo domingo.

“Saio do ar, mas eu estou na Band. Depois eu volto”, disse o agora pré-candidato Datena, antes de encerrar a ligação. “Me pediram para não falar nada antes do anúncio”, justificou, referindo-se a seu partido. Com informações da Folhapress.

Comentários

comentários

Carregar mais em Política

Deixe um resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

Quer mais? Veja isso.

Centrão chega a acordo para apoiar Alckmin

A aliança deve mudar a correlação de forças da eleição, dando a Alckmin capilaridade e o m…