Início Lifestyle Do enxoval à amamentação Ginecologista e obstetra dá sugestões para as mamães de primeira viagem

Do enxoval à amamentação Ginecologista e obstetra dá sugestões para as mamães de primeira viagem

53
As mães de primeira viagem sempre têm muitas dúvidas a respeito da gestação. Para esclarecer as incertezas e inseguranças, o ginecologista e obstetra, Domingos Mantelli, selecionou alguns conselhos para as gestantes que vão desde o preparo do enxoval aos segredos de uma boa amamentação.
De acordo com o médico, para preparar o enxoval, a mulher deve levar em conta a estação do ano em que o filho irá nascer – se for no verão, não há necessidade de comprar muitas mantas e cobertores; caso seja no inverno, é necessário, além dos cobertores, toquinhas e sapatinhos de lã, já que o recém-nascido sente mais frio que adulto. “Não há necessidade de exagerar na compra de roupinhas. Os bebês e, principalmente os recém-nascidos, ganham peso rapidamente e logo perdem as roupinhas, por isso é bom ir comprando aos poucos.  Não esquecer de lavar todos os itens que terão contato com ele para evitar a proliferação de fungos. E claro, arrumar a malinha do bebê e da gestante antes que completar a 39ª semana de gestação”, comenta o obstetra.
Após o nascimento, na hora do banho, a mamãe (ou quem for dar o banho no bebê) deve deixar tudo que irá usar por perto. De preferência deve dar banho no mesmo cômodo onde trocará o bebê, para evitar andar com o nenê molhado pela casa. Para impedir correntes de ar no ambiente, feche as janelas.
Quanto ao choro do bebê, Mantelli afirma que, com o dia a dia a mãe distinguirá as diferenças do choro do bebê: fome, cólica, incômodo com a troca da fralda, etc. “Caso a mamãe tenha dado comida, trocado a fralda, identificado cólica e medido a temperatura para observar se há febre, é importante buscar a ajuda de um pediatra para identificar a existência de algum problema mais complicado”, adverte o médico.
Sobre a amamentação, o especialista indica que, nos primeiros dias o bebê deve mamar todas as vezes que chorar. Com o tempo ele mesmo acertará os horários das mamadas. Provavelmente, o bebê vai querer mamar de oito à doze vezes em 24 horas. O leite materno é de fácil digestão e não é raro que o bebê volte a ter fome após uma hora da última mamada. “Geralmente os médicos vão informar que o bebê deve mamar sempre que tiver vontade. Permita que o bebê mame até que ele, por decisão própria, deixe o mamilo. Já os engasgos são comuns, no entanto, é necessário algumas medidas preventivas para evitá-los. Sempre é essencial colocar o bebê no ombro para arrotar depois de mamar. Depois que o bebê arrotar, deite-o de lado ou de bruços, pois assim evita que ele vomite e se asfixie com o vômito”, enfatiza Mantelli.
Nos primeiros meses do bebê, os pais precisam estipular certas regras como: hora de comer, de tomar banho, dormir, brincar, entre outras. Isso faz bem ao bebê, já que, ao definir um padrão, ajuda ao organismo do bebê a ter equilíbrio e a se adaptar com a rotina. “A vantagem é que a mulher terá um padrão previsível de atividades e horários, e o bebê saberá o que esperar ao longo do dia”, conclui.

 

Domingos Mantelli

Dr. Domingos Mantelli é médico ginecologista e obstetra, com formação em neurolinguística e atuação na área de medicina psicossomática. É formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) e tem residência médica na área de ginecologia e obstetrícia pela mesma instituição. É pós-graduado em ultrassonografia ginecológica e obstétrica e em medicina legal e perícias médicas. Também é autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”.

Comentários

comentários

Carregar mais em Lifestyle

Deixe um resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

Quer mais? Veja isso.

Governador do Estado de São Paulo anuncia compensação financeira para municípios com presídios

Projeto de lei foi citado por Márcio França (PSB) durante evento sobre desenvolvimento reg…