Também são alvos da operação advogados como Tiago Cedraz, filho de Aroldo Cedraz, ministro do TCU

A força-tarefa da Lava-Jato cumpre mandados de busca e apreensão, nesta quarta-feira (9) contra escritórios de advocacia acusados de integrar um esquema que desviou ao menos R$151 milhões do Sistema Fecomércio-RJ, composto pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio, Sesc e Senac, entre 2012 e 2018.

Entre os alvos da Operação E$quema S está o escritório Teixeira, Martins Advogados, do advogado Roberto Teixeira, sócio de Cristiano Zanin Martins, responsável pela defesa do ex-presidente Lula.

Os advogados Frederick Wassef (ex-advogado da família Bolsonaro) e Ana Tereza Basílio (defensora de Wilson Witzel) também são alvos de nova fase da Lava Jato

O objetivo dos desvios era montar uma blindagem para manter o empresário Orlando Diniz no comando das entidades. Também há suspeita de malversação de mais R$200 milhões.

Participam da operação, no cumprimento dos mandados expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, o Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal e a Receita Federal do Brasil.

As buscas e apreensões são desenvolvidos em 50 endereços no Rio, São Paulo e Brasília, incluindo as firmas dos envolvidos e outros escritórios e empresas.

Diário do Poder

 

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Política
.