Segundo o Corpo de Bombeiros, Martinópolis e Rancharia foram as mais castigadas pela força da natureza

Cidades da região de Presidente Prudente foram castigadas pelo temporal ocorrido na noite de ontem. Segundo o Corpo de Bombeiros, houve registros ocorrências em alguns locais. Apesar do susto, não houve vítimas.

Em Martinópolis, o barracão da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) não resistiu à força da ventania e desabou. Ainda na cidade, alguns imóveis precisaram ser interditados pelo risco causado pela precipitação.

Já em Rancharia, cidade vizinha, o vento derrubou árvores e danificou parte de uma rede elétrica.

O climatologista Vagner Camarini analisou fotos e vídeos dos estragos causados pelo vendaval nas cidades. De acordo com ele, pela dimensão é possível estimar que os ventos tenham ultrapassado a velocidade de 80 km/h.

“Esse tipo de fenômeno já era esperado para essa época do ano, porque estávamos em um longo período de seca”, afirma. “Normalmente, como é circular [formato do vento] acaba provocando estrago maior, como a queda de barracões, por exemplo”.

Camarini reforça que não há como garantir onde vai ocorrer os temporais, pois os fenômenos variam conforme a atmosfera, sendo as áreas rurais as mais acometidas pelas rajadas de vento.

Altas temperaturas

Conforme o climatologista, nos próximos dias a região de Presidente Prudente poderá bater o recorde de altas temperaturas no mês de setembro, com os termômetros na casa dos 40ºC.

A mais alta registrada nesse período foi em 2004, quando chegou a 38.8ºC.

O Imparcial

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Cidade e Região
.