A prefeitura da Estância Turística de Presidente Epitácio através do Controle de Vetores – Covepe esclarece à população sobre a suspensão do uso de inseticida na nebulização de combate a Dengue. Conforme Nota Informativa n°77/2019 – CGPNCMD/DEVIT/SVS/MS, a utilização de inseticidas em saúde pública tem por base normas técnicas e operacionais oriundas de um grupo de especialistas em praguicidas da Organização Mundial de Saúde – OMS, que preconiza os princípios ativos desses produtos e recomenda as doses para os vários tipos de tratamento disponíveis.

O Ministério da Saúde – MS vem utilizando o inseticida MALATHION EW 44% para as ações de aplicação espacial (aplicação com equipamento costal motorizado e aplicação com equipamento de Ultra Baixo Volume).

O inseticida Malathion EW 44% é um adulticida espacial organofosforado – fabricado pela empresa Bayer – empregado no controle de mosquitos Aedes aegypti para situações emergenciais com elevada transmissão das arboviroses dengue, chikungunya e Zika vírus.

Ainda conforme a nota, devido a problemas identificados referentes ao produto,  após a nomeação da nova gestão da Secretaria de Vigilância em Saúde foram identificados problemas na utilização de insumos estratégicos, relatados a partir de janeiro de 2.017 e que ocasionaram no desabastecimento do inseticida Malathion EW 44%.

A Secretaria de Vigilância em Saúde informa que vem trabalhando insistentemente na tentativa de minimizar os problemas causados pela falta do inseticida Malathion EW 44% no estoque do país. Pois, devido à crescente resistência do mosquito a piretróides, as opções de escolha de inseticida efetivas ao controle ficam limitadas, sendo atualmente o Malathion a única opção de adulticida não-piretróide com registro na ANVISA para utilização.

Foram realizadas tentativas de empréstimo do Malathion aos países da América do Sul, mas não houve êxito devido à indisponibilidade do produto. Dessa forma, devido o desabastecimento, reforça-se a necessidade da intensificação das ações de rotina visando diminuir a transmissão de casos, com a realização de visita casa a casa, resgate de imóveis pendentes, mobilização da população e mutirões de limpeza. As ações de controle vetorial devem ser planejadas para serem executadas de forma permanente, promovendo a articulação sistemática com todos os setores do município (educação, saneamento, limpeza urbana etc). A utilização de métodos sustentáveis e ecologicamente adequados, como atividades de eliminação mecânica permite uso racional de inseticidas e devem ser priorizadas como medida para controle dos vetores.

Portanto, o executivo municipal solicita que a população epitaciana se sensibilize com esse comunicado e colaborem com o poder público na luta contra o mosquito Aedes Aegypti.

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Cidade e Região
.