Sofás, tapetes, livros e bichinhos de pelúcia podem abrigar os ácaros que estão fazendo você tossir e espirrar

Cuidar da limpeza da casa é essencial para garantir uma boa saúde respiratória. Afinal, nem sempre notamos, mas muitos dos objetos, acessórios e móveis que nos cercam podem ser vilões, especialmente para pessoas que têm tendência a desenvolver alergias como rinite, sinusite, bronquite, dermatite, entre outras.

O pneumologista Sérgio Pontes, da Aliança Instituto de Oncologia, em Brasília, afirma que qualquer utensílio ou móvel que acumule mofo e poeira pode ser nocivos para saúde. Na lista dos itens mais propícios a armazenarem substâncias alérgicas, estão tapetes, cortinas, colchões, almofadas e bichinhos de pelúcia, por conta da textura e do material utilizado. “Na maioria das vezes, eles nem provocam a doença, mas deixam a imunidade mais baixa e aí a pessoa fica mais propensa a viroses, gripes, entre outros”, explica o especialista

Em casa, o principal agente que causa alergias é o ácaro. Eles são invisíveis a olho nu e medem cerca de 0,5 milímetro. Os bichinhos costumam gostar de umidade e vivem espalhados por lugares bem comuns da casa, como os sofás, os colchões e as paredes. Para se ter uma ideia, um metro quadrado de tapete em uma residência pode conter até 100 mil ácaros.

Para não deixar que sua casa vire um ambiente inóspito para você mesmo, o pneumologista recomenda troca frequente da roupa de cama (no caso de pessoas bem alérgicas, o médico sugere de três em três dias), além de uma disposição de móveis propicie ambientes com ventilação natural, circulação de ar e entrada do sol. A higienização do ar condicionado também deve ser regular, o ideal é que seja feita de três em três meses.

Por Metrópoles

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Estilo de Vida
.