Para evitar desabastecimento e manter a logística do agronegócio o Ministério da Agricultura deverá projetar corredores estratégicos para proteger as atividades essenciais do setor de agronegócio, como exportações e a circulação de alimentos e de insumos básicos à agropecuária.
A criação desses corredores estratégicos são essenciais para a não interrupção do fluxo de produtos exportados pelo país, principalmente porque este é um dos períodos de maior intensidade das vendas externas de soja.
Além disso, a demanda chinesa por carnes está crescendo, após a retração do vírus no país asiático. Este é também um período de entrada, pelos portos brasileiros, dos insumos básicos para a próxima safra de soja.
O ministério, que instalou um comitê de acompanhamento dos efeitos do coronavírus na atividade agropecuária, avaliou outros eventuais problemas que também possam a vir afetar o setor.
Na reunião foram tratados assuntos relacionados à proibição de transporte de pessoas em ônibus, o que impediria a chegada de empregados às fábricas, e a ausência de contêineres refrigerados nos portos brasileiros.
Na área da defesa sanitária, a SDA (Secretaria de Defesa Agropecuária) deu diretrizes para que sejam mantidas a inspeção, a fiscalização e as auditorias programadas para este ano.
Essas atividades visam principalmente as ações relacionadas à vigilância internacional, inspeção em frigoríficos e controle de resíduos e análises laboratoriais.
A SDA determinou, ainda, que as chefias de divisões do setor deverão disponibilizar pessoal para atendimento esporádico das atividades de vigilância agropecuária.
O ministério suspendeu também o atendimento técnico presencial ao público nas áreas animal e vegetal na sede do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional de Santos.
Por Rosana Siqueira
Jornal do Estado

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Brasil
.