Nova geração das versões esportivas do Golf se igualam no visual e na potência de 245 cv, mas têm propostas completamente diferentes

A Volkswagen se antecipou ao Salão de Genebra, que acontece entre 5 e 15 de março, para revelar as versões esportivas da nova geração do Golf. De uma só vez, surgem os novos Golf GTI (a gasolina), GTE (híbrido) e GTD (diesel).

Por fora, são praticamente iguais entre si. O para-choque tem tomadas de ar maiores com trama em forma de comeia e os leds dos faróis de neblina se escondem por trás dela. O para-choque traseiro ganha uma peça que simula extrator, enquanto um aerofólio ajuda a compor o visual da traseira. Há, ainda, opções de rodas de 17, 18 e 19 polegadas.

 (Divulgação/Volkswagen)

O principal diferencial de cada uma das versões esportivas está na frente, logo acima da barra iluminada que interliga os faróis. No GTI o friso é vermelho, enquanto no GTD é prata e no GTE é azul.

 (Divulgação/Volkswagen)

Por dentro, as três versões GT acompanharam as versões padrão do Golf, o que quer dizer que há novos recursos de assistência ao motorista e segurança e que muitos comandos foram trocados por toques na tela.

 (Divulgação/Volkswagen)

No GTI, a central multimídia tem 10 polegadas por padrão. Mas o GTD e o GTE têm tela de 8,25 polegadas nas versões base. O que não muda é o tamanho da tela do quadro de instrumentos, sempre de 10,25 polegadas.

 (Divulgação/Volkswagen)

O Golf GTI, claro, é o mais icônico dos três. Tem 45 anos de história e nesta oitava geração tem o motor 2.0 TSI EA888 evo4, versão de 245 cv e 37,7 mkgf (ante os 230 cv e 35,7 mkgf da geração passada). Há opção de câmbio manual de seis marchas (com a tradicional bola de golfe na alavanca) e o DSG (automatizado de dupla embreagem) com sete marchas e seletor eletrônico igual ao dos Porsche mais recentes.

A Volkswagen teria cogitado transformar esta versão em um híbrido leve, mas desistiu disso a tempo: a vantagem que seria proporcionada por um motor elétrico auxiliar não traria grandes vantagens ao público tradicional da versão – que costuma responder por 13% das vendas do Golf na Europa.

Golf GTE pode ter sua bateria recarregada em tomada

Golf GTE pode ter sua bateria recarregada em tomada (Volkswagen/Divulgação)

O Golf GTE, hoje a única versão vendida no Brasil, passou a ter exatamente a mesma potência do GTI. São 245 cv (ganho de 41 cv) gerados de outra forma. Neste caso, o motor 1.4 TSI gera 150 cv enquanto um elétrico complementa com outros 115 cv. Mas a potência combinada (quando os dois trabalham juntos) é de 245 cv.

A Volkswagen só não divulgou os dados de desempenho das duas versões.

 (Divulgação/Volkswagen)

A bateria que alimenta o motor elétrico não mudou, segue com 13 kWh, mas a VW garante que a melhor aerodinâmica permite que o híbrido esportivo percorra até 60 km em modo elétrico, sem queimar gasolina.

O GTD tem uma nova versão do motor 2.0 TDI com 200 cv e 40,8 mkgf, com dois novos filtros, novo turbo e novo sistema de arrefecimento que ajudam a reduzir as emissões de NOx em 80%. Seu câmbio é sempre o DSG de sete marchas.

Golf GTD

Golf GTD (Divulgação/Volkswagen)

 

Por Aglomerado Digital

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Tecnologia
.