Especialização ofertada pela educação a distância resultou em benefícios na profissão e no âmbito familiar

A pedagoga Eliene Aparecida dos Santos Delgado, com muita dedicação, fé e estudo, conseguiu atender uma necessidade familiar e atuar profissionalmente, promovendo o bem-estar de crianças e adolescentes com diferentes tipos de deficiência. Ao se tornar especialista em psicomotricidade relacionada à educação e aprendizagem, faz duplo proveito ao aplicar o aprendizado na sala de recursos da escola municipal na qual é professora e nos cuidados com sua filha Ana Paula, portadora de deficiência múltipla.

No sentido de contribuir com outros profissionais da educação e outras áreas, assim como aos familiares de pessoas com deficiência, a pedagoga aconselha que façam a Pós-graduação em Psicomotricidade, Educação e Aprendizagem, ofertada pelo Núcleo de Educação a Distância (Nead) da Unoeste.

Um aconselhamento exclusivamente sustentado no aspecto humano, dado por alguém que há 26 anos cuida de uma filha que só mexe os olhos e que há cerca de 20 anos trabalha com alunos especiais em escola da rede municipal de ensino de Santa Gertrudes (SP), cidade próxima à Rio Claro, onde mora.

Egressa do magistério e da formação superior em pedagogia, Eliene acabou de fazer na Unoeste a sua quinta especialização e as outras estiveram voltadas para complicações em determinados aspectos, compreendendo o mental, o físico e o visual, de tal forma a criar uma linguagem para se comunicar com a filha.

“Como ela não anda e não fala, o piscar de olhos conduz o nosso entendimento para o sim ou para o não”, conta a mãe que, junto com a família, mantém a filha inserida no convívio social. Fazem parte disso o pai Daniel Aparecido Delgado, a irmã Alessandra e o marido dela, Ricardo Jupox Jucoquis.

Se havia um tempo em que a família escondia a pessoa com deficiência e que isso ainda possa ocorrer nos dias atuais, não é o caso dessa família. Com essa mente aberta e o comprometimento em ajudar o próximo é que Eliene recomenda o curso de psicomotricidade.

“Nessa minha mais recente especialização recebi um conteúdo muito bom e cito como exemplo a parte de jogos na psicomotricidade. No curso aprendi a confeccionar jogos com sucata. Eles são excelentes para estimular o cognitivo das crianças e os avanços alcançados são muito bons”, afirma.

Ana Paula nasceu com deficiência múltipla devido ao vírus da rubéola congênita, o que motivou sua mãe a estudar especialidades. Também foi a motivação para Alessandra, que nasceu dois anos antes, ser fisioterapeuta. Agora Eliene conta que irá fazer o curso de Libras, pela modalidade a distância na Unoeste.

Seu depoimento sobre a Pós-graduação em Psicomotricidade, Educação e Aprendizagem tem o caráter de prestação de solidariedade humana, tanto enquanto mãe amorosa e zelosa pelo bem-estar de sua filha, quanto na condição de profissional de promover a integração de alunos com deficiência.

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Cidade e Região
.