Início Policial Pintor troca motocicleta por tabletes de maconha e acaba preso por tráfico de drogas

Pintor troca motocicleta por tabletes de maconha e acaba preso por tráfico de drogas

172

Passageiro de um ônibus abordado pela Polícia Militar Rodoviária na Raposo Tavares (SP-270), em Presidente Epitácio, transportava o entorpecente dentro de uma mala e em um tênis.

A Polícia Militar Rodoviária prendeu na madrugada desta sexta-feira (20), em Presidente Epitácio, um pintor, de 22 anos, que transportava 11,347 kg de maconha em um ônibus que seguia de Dourados (MS) para São Paulo (SP). O veículo foi abordado por volta da 1h no km 648 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270).

Segundo a corporação, foi localizada uma mala, no bagageiro externo, contendo algumas peças de roupas e 13 tabletes de maconha. Posteriormente, foi encontrada outra porção do mesmo entorpecente dentro de um tênis.

O proprietário da bagagem – morador de Angatuba (SP) – foi identificado e alegou que havia trocado uma motocicleta pela droga entre Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero, no Paraguai, e que revenderia e consumiria parte da maconha. Segundo o passageiro, a negociação foi feita com um desconhecido.

O pintor recebeu voz de prisão por tráfico de drogas. A ocorrência foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil de Presidente Epitácio. A droga, a bagagem e o bilhete de identificação foram apreendidos e o homem permaneceu preso para ser apresentado à audiência de custódia.

Do G1

Polícia Militar Rodoviária localizou 13 tabletes de maconha durante a abordagem (Foto: Polícia Militar/cedida)Polícia Militar Rodoviária localizou 13 tabletes de maconha durante a abordagem (Foto: Polícia Militar/cedida)

Polícia Militar Rodoviária localizou 13 tabletes de maconha durante a abordagem (Foto: Polícia Militar/cedida)

Comentários

comentários

Carregar mais em Policial

Deixe um resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

Quer mais? Veja isso.

Região de Presidente Prudente soma média de 20 ocorrências/mês de estupro de vulneráveis

Q ualquer ato libidinoso pode ser indiciado como caso de estupro. E, desde setembro 2016, …