Início Policial Professora é flagrada ao tentar entrar em presídio com celulares, estimulante sexual, fios elétricos e massa epóxi

Professora é flagrada ao tentar entrar em presídio com celulares, estimulante sexual, fios elétricos e massa epóxi

180
Mulher de 46 anos é contratada pelo Estado para dar aulas aos detentos que cumprem pena na unidade, em Pacaembu. Diretoria de Ensino informou que docente foi afastada de suas funções.

U ma professora de 46 anos foi flagrada nesta sexta-feira (8) ao tentar entrar na penitenciária em que trabalha, em Pacaembu, com cinco celulares, quase 200 comprimidos de medicamento estimulante sexual, fios elétricos e porções de massa epóxi.

A professora é contratada pelo Estado para dar aulas a presos que cumprem pena na unidade.

Ela foi encaminhada à Delegacia da Polícia Civil, juntamente com os produtos apreendidos, para prestar esclarecimentos sobre o caso e o registro de um Boletim de Ocorrência. A professora vai responder ao inquérito policial em liberdade.

Em nota ao G1, a Diretoria Regional de Ensino de Adamantina, que responde pela área onde fica a penitenciária em Pacaembu, informou que a professora foi imediatamente afastada de suas funções.

“A partir de agora, o caso será investigado pelas autoridades competentes”, concluiu o órgão estadual ao G1.

Revista

Também em nota ao G1, a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) informou que o flagrante ocorreu por volta das 7h20, durante a revista de praxe para entrar na Penitenciária “Osias Lúcio dos Santos”. O aparelho de scanner corporal indicou que a professora da escola vinculadora, que leciona aulas do ensino fundamental para os presos, portava dois invólucros escondidos em suas roupas íntimas.

Dentro dos dois pacotes, segundo a SAP informou ao G1, foram encontrados cinco celulares, quatro porções de massa epóxi, 5,5 metros de estanho, 19 metros de fio automotivo e 100 comprimidos de estimulante sexual. Em seguida, foram revistados os pertences da professora, onde acabaram descobertos mais 92 comprimidos.

“Imediatamente a unidade prisional contatou a diretoria da escola vinculadora, para que fossem tomadas todas as medidas administrativas necessárias, e conduziu a mulher à Delegacia de Polícia”, salientou a SAP ao G1.

A pasta enfatizou ainda ao G1 que a entrada da professora não será mais permitida no estabelecimento prisional.

A mulher lecionava havia quatro meses na penitenciária.

De acordo com a SAP, a penitenciária funciona no regime fechado e conta atualmente com uma população carcerária de 2.151 presos, enquanto a capacidade é para 873.

Do G1

Comentários

comentários

Carregar mais em Policial

Deixe um resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

Quer mais? Veja isso.

Adolescente é apreendido com mais de 400 tabletes de maconha dentro de carro em Presidente Epitácio

Ele foi abordado em um posto de combustíveis na Rodovia Raposo Tavares e alegou que levari…