As tarifas de energia elétrica em Mato Grosso do Sul continuam “elevadíssimas” e parecem sem controle por parte da empresa responsável pelo fornecimento, a Energisa. A informação é do empresário Venício Leite, líder do movimento popular Energia Cara Não. Como se não bastassem as inúmeras reclamações e comprovantes que recebe diariamente, enviadas por consumidores em todo o Estado, ele recebeu também denúncias da União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul – UCVMS.
De acordo com documento enviado pelo presidente da entidade, Jeovani Vieira dos Santos, o legislativo municipal de todo interior do Estado tem comprovado os seguintes problemas com relação ao serviço de fornecimento de energia elétrica, especialmente no meio rural:
Oscilação de energia; Demora no atendimento para o restabelecimento do fornecimento de energia, o que tem provocado inúmeros prejuízos; Manutenção deficitária para as redes elétricas da área rural e o maior volume de reclamações diz respeito aos valores das tarifas que são exorbitantes e cada vez maiores.
“Os consumidores não têm mais onde economizar”, insiste o vereador Jeovani Vieira dos Santos em ofício encaminhado a Venício Leite. Ele pede para que o movimento popular leve as reclamações feitas pela União de Vereadores de MS à Comissão Parlamentar de Inquérito – CPÍ, aberta pela Assembleia Legislativa, para investigar as denúncias, que surgiram em enxurradas, há mais de ano em todo o Estado.
Muitas contas de energia elétrica de Campo Grande e interior tiveram reajustes claramente abusivos de 100%, 200%, 500% e outros casos de até l.000% de reajuste. “Estamos dando todo apoio aos trabalhos da CPI para proteger os direitos dos consumidores que estão sendo prejudicados pela Energisa em Mato Grosso do Sul”, afirma Venício Leite. Ele diz inclusive que muitas famílias estão deixando de comprar comida e medicamentos, para poder pagar a conta de energia elétrica.
Venício Leite enalteceu os trabalhos da CPI, conduzidos pelo deputado Felipe Orro, de maneira “séria e exemplar”. O movimento popular está confiante nos resultados dos trabalhos em favor dos consumidores de energia elétrica de Mato Grosso do Sul, afirmou.
ASSECOM

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Brasil
.