Início Destaque Trecho de ferrovia que passa por Presidente Venceslau deve ser reativado

Trecho de ferrovia que passa por Presidente Venceslau deve ser reativado

232

A empresa Rumo, do grupo Cosan, venceu ontem (28), o leilão do trecho de 1,5 mil quilômetros da Ferrovia Norte-Sul, que passa por 30 municípios do Estado de São Paulo, inclusive Presidente Venceslau. O valor do lance foi de R$ 2,719 bilhões e a empresa tem dois anos para reativar a ferrovia.

Ao todo, a extensão do trecho leiloado é de 1.537 km e vai de Porto Nacional (TO) a Estrela d’Oeste (SP). Na região, a ferrovia passa pelos municípios de: São Joao do Pau d’Alho, Santa Mercedes, Paulicéia, Panorama, Caiuá, Presidente Venceslau, Piquerobi, Santo Anastácio, Mirante do Paranapanema, Sandovalina e Pirapozinho.

O contrato firmado deve durar 30 anos.

Vale lembrar que a Ferrovia Norte-Sul permanecia sob administração da estatal Valec, que há 33 anos não consegue concluir a reforma do empreendimento.

Potencial de lucro 
De acordo com o prefeito de Venceslau, Jorge Duran, esta é uma batalha de todos, que já dura muitos anos em toda região. “As empresas que administravam a ferrovia sempre alegaram que não existe a demanda. Mas isso só ocorre por falta da oferta”, pontua.

Ainda segundo Duran, a nova oportunidade, se efetivada, será um propulsor de investimento e desenvolvimento. “A falta desse serviço faz com que os investidores busquem outras alternativas de transporte. Esperamos com muito otimismo as novas etapas dessa novo processo”, diz.

Para o deputado estadual Ed Thomas, a restauração da ferrovia possui grande valor econômico aos 45 municípios do Oeste Paulista. Segundo ele, por se tratar de uma comarca que faz divisa com dois estados, existe um grande poder de carga, obra-prima e necessidade de transporte. “A ferrovia é uma questão histórica e cultural à nossa região. Com sua reativação, todos poderão usufruir de seu benefício que proporcionará, inclusive, geração de empregos”, acrescenta .

Ainda conforme o deputado, o trecho da ferrovia em questão “esta sucateado”. “Temos que nos unir para mudar esta realidade. Os países com melhores índices de desenvolvimento contam, atualmente, com o sistema ferroviário”, analisa.

Leilão da Ferrovia Norte-Sul — Foto: Arte/G1

Operação
A Rumo tem dois anos para fazer a ferrovia operar. “Queremos fazer com que a ferrovia opera o mais rápido possível, para gerar caixa”, afirmou o presidente da Rumo, Julio Fontana. “É um bom negócio para nossa companhia e tem sinergia com a nossa operação”, afirmou ao site de notícias G1 São Paulo .

Ainda conforme dados do site G1, a demanda esperada para ferrovia – tanto na malha própria como na de terceiros – em 2020 é de 1,7 milhão de toneladas. Em 2055, deve chegar a 22,7 milhões.

Conheça os municipios que fazem parte da Ferrovia Norte-Sul:

 

Valor histórico
A mestre em Arquitetura e Urbanismo, Corina Aparecida Teixeira Ferreira da Costa, explica que todos municípios da região surgiram em função das ferrovias, pois foram grande propulsoras de emprego e desenvolvimento. “Essa transformação ocorreu até um certo período, até que o governo começasse a investir em rodovias”, explica.

Sobre os benefícios da reativação, a especialista informa que a estrutura ferroviária faz parte da cultura do Brasil e que, por conta disso, “pode reviver grandes conquistas”. Além disso, Corina ressalta a possibilidade de restauração de toda infraestrutura as margens dos trilhos de ferro. “São patrimônios que também podem ser reformados”, acredita.

Do Portal Bueno

Comentários

comentários

Carregar mais em Destaque

Deixe um resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

Quer mais? Veja isso.

O que é ANSIEDADE?

A resposta para esta pergunta é um pouco mais complexa, pois, trata-se de um sentimento va…