A mãe contou que o filho é usuário de drogas e que já pediu para que ele deixasse a casa da família, mas o rapaz se recusa a sair do local. Além disso, a mulher também deseja que o filho, caso saia da prisão, seja impedido de retornar à residência ou de aproximar dela e do avô.

O idoso relatou à Polícia Civil que o neto, sem motivo aparente, o empurrou contra a parede, causando-lhe o ferimento. A vítima também manifestou o desejo de que o rapaz seja responsabilizado pelo ato cometido, bem como fique proibido de se aproximar.

á o indiciado negou a agressão e disse que pegou o avô pelo braço e o colocou no vaso. Segundo o Boletim de Ocorrência, o rapaz disse ser usuário de maconha e viver de “bicos” e ainda confirmou que a mãe não o queria na residência.

Policiais militares foram acionados para o atendimento da ocorrência e conduziram o jovem preso à Delegacia Participativa.

A Polícia Civil decretou a prisão em flagrante do indiciado pelo crime de violência doméstica, previsto no parágrafo 9º, do artigo 129, do Código Penal.

Por entender que, ao menos neste momento, a segregação cautelar do indiciado é necessária à garantia da ordem pública, representada pela salvaguarda da vida e da integridade física da vítima, a Polícia Civil deixou de arbitrar-lhe fiança e pediu à Justiça a conversão do flagrante em prisão preventiva.

Caso o Poder Judiciário entenda não ser necessária a prisão cautelar do envolvido, a Polícia Civil ainda representou à Justiça, em caráter subsidiário, pela decretação de medica cautelar para proibir o indiciado de se aproximar, acessar ou frequentar a residência da família e para impedir que o jovem mantenha contato por qualquer meio com o avô e com a mãe.

Por G1

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Cidade e Região
.