Cidade Thônis-Heracleion era o maior porto do Egito no Mediterrâneo

Reuters

Mergulhadores encontraram raros destroços de um navio militar na antiga cidade submersa de Thônis-Heracleion – outrora o maior porto do Egito no Mediterrâneo – e um complexo funerário que ilustra a presença de mercadores gregos, afirmou o país nesta segunda-feira (19).

A cidade, que controlava a entrada ao Egito na foz de um braço ocidental do Nilo, dominou a região por séculos antes da fundação de Alexandria por Alexandre, o Grande, em 331 antes de Cristo.

Destruída e afundada junto com uma vasta área do delta do Nilo por vários terremotos e maremotos, Thônis-Heracleion foi redescoberta em 2001 na baía de Abu Qir, perto de Alexandria, agora a segunda maior cidade do Egito.

O navio militar, descoberto por uma missão egípcia e francesa liderada pelo Instituto Europeu de Arqueologia Submersa, afundou quando o famoso templo de Amun, ao qual estava atracado, desabou no segundo século antes de Cristo.

Um estudo preliminar mostra que o casco do navio de fundo chato de 25 metros, com remos e uma grande vela, foi construído mediante a tradição clássica e também tinha características da construções do Antigo Egito, afirmou o Ministério de Turismo e Antiguidades do Egito.

Em outra parte da cidade, a missão revelou os destroços de uma grande área funerária grega, que data dos primeiros anos do quarto século antes de Cristo, disse.

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Mundo
.