A taxa de desemprego no Brasil chegou a 14,4% no trimestre encerrado em agosto e passou a atingir 13,8 milhões de pessoas. É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), publicada nesta sexta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o maior valor já registrado pelo IBGE desde seu início, em 2012.

Ainda, segundo o instituto, o trimestre encerrado em agosto apresentou um aumento de 8,5% frente ao anterior, com cerca de 1,1 milhão de pessoas a mais procurando emprego.

Segundo Adriana Beringuy, analista da pesquisa, o aumento na taxa de desemprego é um reflexo da flexibilização das medidas de isolamento social para controle da pandemia de Covid-19. “No meio do ano, havia um isolamento maior, com maiores restrições no comércio, e muitas pessoas tinham parado de procurar trabalho por causa desse contexto”, diz a analista. “Agora, a gente percebe um maior movimento no mercado de trabalho em relação ao trimestre móvel encerrado em maio”, explica.

Por CNN Brasil

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Economia
.