Os primeiros voos experimentais estão previstos para serem realizados em outubro

O iFood recebeu o aval da Agência Nacional Aviação Civil (Anac) para iniciar voos experimentais com o intuito de fazer entregas de comida por meio de drones. As autorizações foram concedidas para a Speedbird e a AL Drones, que vão operar o serviço com de entregas áreas. A previsão é de que os primeiros voos experimentais sejam realizados em outubro.

Contudo, os drones não farão entregas nas casas dos clientes. Pelo menos ainda. Por ora, a tecnologia fará a primeira parte da rota das entregas, que será finalizada por um entregador com moto, bike ou patinete. Uma segunda rota de voo fará um trajeto de 2,5 quilômetros entre o centro de operações do aplicativo até um condomínio próximo. É esperado que o drone leve quatro minutos para concluir o percurso, o que hoje leva 10.

A medida tem o intuito de reduzir o tempo de entregas de pedidos feitos pelo aplicativo da empresa. O iFood já mapeou em torno de 200 cidades nas quais poderá usar o modelo se os voos forem bem sucedidos.

Em entrevista a Época Negócios, Roberto Gandolfo, vice-presidente de Logística do iFood, afirmou que os experimentos irão servir como aprendizado para a startup de entregas. “Quando a gente olha para o futuro, das 1 mil cidades que operamos, pelo menos 200 têm capacidade de receber o serviço por drone”, revelou o executivo, que não falou sobre os planos de expansão da tecnologia.

 

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Tecnologia
.