Uma ex-diretora da Universidade do Brasil, alvo da Operação Vagatomia em setembro, fechou acordo de colaboração premiada, informa o Estadão.

Juliana da Costa e Silva contou ao MPF que alunos pagavam R$ 80 mil por uma vaga na faculdade de Medicina. Esse valor chegava a R$ 100 mil, no caso de uso do Fies.

Segundo os investigadores, a universidade teria embolsado meio bilhão de reais com o esquema que envolvia fraudes no Financiamento Estudantil e na revalidação de diplomas.

José Fernando Pinto da Costa, dono da Universidade Brasil, e seu filho chegaram a ser presos.

O Antagonista

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Brasil
.