Ministro da Justiça e Segurança Pública se defendeu acusando a estratégia de divulgação do site The Intercept Brasil, em sessão na CCJ do Senado
Brasília – O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse “não estar com medo” e desafiou o site The Intercept Brasil a “divulgar todas as conversas de uma vez”. “Não estou com medo. Divulguem tudo de uma vez”, afirmou, em sessão na CCJ do Senado nesta quarta-feira.
Moro questionou diversas vezes o motivo dos jornalistas do site não levaram os documentos até as autoridades, de uma vez só. O senador Jacques Wagner (PT-BA) o rebateu: “O ministro sempre declarou que, para o sucesso da operação (Lava Jato), era necessário o apoio da imprensa e da opinião pública. Eu posso dizer que o jornalista está trabalhando com o mesmo elemento que vossa excelência”, afirmou. Em seguida, questionou o ministro se houve sensacionalismo na divulgação dos áudios entre os ex-presidentes Lula e Dilma.
Moro voltou a se defender, mas reconheceu que pode ter havido sensacionalismo na divulgação dos áudios: “Nós fazíamos isso de maneira transparente, e todas as informações ficavam disponíveis. Nós não ficávamos divulgando em pílulas, aqueles fatos. Nós colocávamos eles por inteiro. Aquela decisão, envolvendo aquele áudio (entre Dilma e Lula), tudo bem, pode ser, pode haver divergência. Mas foi uma decisão proferida nos autos”, reconheceu.
Pelo Twitter, o jornalista americano Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil, também rebateu o ministro: “Não há um só país no mundo democrático em que os jornalistas “entreguem” seu material jornalístico à polícia ou aos tribunais para inspeção antes de publicar, como Moro exige. Como juiz, ele deveria entender que uma imprensa livre está explicitamente protegida na Constituição”.
Por O Dia

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Política
.