Ministro da Justiça acha que pacote Anticrime reduzirá ainda mais a criminalidade

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, divulgou nesta quarta (12) dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp) que apontam queda nos crimes em todo o país na comparação entre o primeiro bimestre do ano passado e o deste ano.

O número de homicídio doloso, por exemplo, teve queda de 23%, passando de cerca de 8,4 mil casos para 6,5 mil. O destaque aparece na redução de 40,6% no roubo de cargas no Brasil. Em seguida, aparece a queda de casos de roubo a instituição financeira, que caiu de 169 casos para 107 — uma redução de 36,7%.

Roubo de veículos caiu 28,3%, passando de 43,4 mil para 31,1 mil registros. Latrocínio (-19%); tentativa de homicídio (-15,1%); furto de veículo (-10,9%); estupro (-7%); e lesão corporal seguida de morte (-6%) também apresentaram reduções, de acordo com os dados divulgados por Moro.

De acordo com o ministro, é preciso trabalhar para que as reduções dos crimes no país sejam permanentes e constantes. “Muitos fatores influenciam a queda, o mérito não é só do Governo Federal, mas também dos estaduais e distrital”, afirmou o chefe do Ministério de Justiça e Segurança Pública.

Moro disse que os números ainda são altos, por isso é preciso trabalhar “muito mais”, e que a aprovação do projeto Anticrime, que chegou ao Congresso Nacional em fevereiro deste ano, ajudaria a reduzir a criminalidade no país. No entanto, o ministro diz respeitar a prioridade na tramitação da reforma da Previdência.

“Hackers de juízes, procuradores, jornalistas e talvez de parlamentares, bem como suas linhas auxiliares ou escândalos falsos não vão interferir na missão”, concluiu, fazendo referência ao vazamento de mensagens atribuídas a ele e ao procurador federal Deltan Dallagnol, divulgadas pelo site The Intercept no último domingo (9).

Confira os dados divulgados pelo ministro:

Diário do Poder

Mostrar mais artigos relacionados
Mostrar mais por Gazeta Ribeirinha
Mostrar mais em Brasil
.